A capacidade para estar só

Utilizo o título de um texto de Winnicott para escrever sobre algo que observo há muito tempo nos relacionamentos entre casais. Nesse texto de 1958, Winnicott diz: “Verificar-se-á que ficar realmente só não é do que estamos falando. A pessoa pode estar num confinamento solitário, e ainda assim não ser capaz de ficar só… A capacidade de ficar só é um fenômeno altamente sofisticado.”

É por meio dessa citação que tento explicar meu ponto de vista em relação aos relacionamentos amorosos. Ao meu ver, o amor existe. Porém não é para todos. E vou explicar o porquê. Quantos casais com 30 anos de casamento vemos que parecem se amar e superar as dificuldades da vida juntos? Quantos casais que estão casados há 10 anos não estão em dúvida se querem continuar mais 20 ou 30 anos com a pessoa com quem se casaram? Poucos. Não é que não existam casais felizes e companheiros, ou que relacionamentos devam ser como filmes hollywoodianos, em que as brigas não existem e o final é sempre feliz. A questão é que é difícil encontrar casais que após algum tempo juntos ao serem questionados sobre seus relacionamentos, tenham mais aspectos positivos do que negativos para contar.

Mas porque isso acontece? Ao meu ver, as pessoas estão desesperadas para encontrar alguém. A mídia nos mostra que temos que viver romances lindos e avassaladores, e que uma pessoa com 40 anos que não se casou é infeliz ou imatura. Afinal, quem nunca viu uma garota deprimida ao chegar o dia dos namorados? Ou aos 30 e poucos anos alguma que não se casou dizer que irá “ficar pra titia”?

Em muitos casos que vejo, as pessoas muitas vezes não tem maturidade emocional e autoconhecimento suficiente para entender isso. Querem desesperadamente um(a) namorado(a) para suprir a angústia de estarem sozinhos. O medo de passarem datas importantes sozinhos ou de se casarem depois de todos seus amigos os domina.

E aí nesse momento conhecem alguém. O início de um relacionamento geralmente é marcado pela paixão, pela empolgação e a idealização de que tudo é perfeito naquela pessoa. E claro, mostramos apenas nossas qualidades também. E cria-se na maioria das vezes um relacionamento perfeito. E durante algum tempo aquilo se mantém. Porém, com o tempo, começamos a enxergar defeitos que antes não existiam. A magia acaba. Isso pode acontecer após alguns meses ou anos. Mas sempre acontece. A pessoa não tem mais tanta animação para sair com você, para te escutar e as manias dela começam a te irritar. E aí o que a maioria dos casais fazem? Reclamam que a pessoa não é mais a mesma, e gastam todas suas energias tentando mudar a personalidade da outra pessoa. E é nesse momento que começam os problemas e as brigas.

Estar apaixonado é algo ótimo e que muitas pessoas sabem descrever como é. Amar é difícil. Conviver com as qualidades e defeitos, compreender alguém exige paciência e aceitar como a pessoa é e não tentar mudá-la. Porém o que a maioria dos casais faz é tentar mudar tal característica, para que a pessoa seja da maneira como deveria ser.

Dessa forma, concluo minha afirmação inicial de que muitas pessoas que estão juntas não se amam. Elas vivem em guerra amando a pessoa por quem se apaixonaram e que não existe mais. Se acomodam, e ficam juntas por não conseguirem admitir que a pessoa não lhe faz bem ou para não separar a família. E principalmente por não terem a capacidade para estar só. Ficar só nos leva a pensar, a refletir, e nem todos estão preparados para enfrentar seus pensamentos, então inconscientemente escolhem o caos do relacionamento à sua própria reflexão e desenvolvimento.

Winnicott, D. W. (1998a). A capacidade para estar-só. In: O ambiente e os processos de maturação. Porto Alegre: Artes Médicas. p. 31-37. (Originalmente publicado em 1958).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s